Denominação

Atividades

Publicações

O Museu Pio XII, no âmbito da missão desenvolvida pelo Instituto de História e Arte Cristãs (IHAC), reúne um conjunto de publicações que visa promover a inventariação, estudo e divulgação do espólio do Museu e da Arquidiocese de Braga.

Esta Fundação cultural da Arquidiocese de Braga, apoiada na extensão bracarense da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa e no Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo da Arquidiocese de Braga procura promover a inventariação, recolha, organização, conservação, restauro, estudo e investigação do Arquivo Arquidiocesano de Braga e dos valores artísticos e arqueológicos que são património da Igreja Arquidiocesana de Braga.

Ao mesmo tempo, colabora na conservação, enriquecimento e beneficiação dos Museus Pio XII e Medina.

Desde 2017 o Museu Pio XII tem promovido ainda uma coleção de publicações dedicadas a artistas contemporâneos.

Activities

Publications

The Pius XII Museum, in the context of the mission developed by the Institute of Christian History and Art (IHAC), brings together a set of publications that aim to promote cataloguing, studying and disseminating the Museum's legacy. This Cultural Foundation of the Archdiocese of Braga, supported in the extension of the Faculty of Theology of the Catholic University of Portugal and the Conciliar Seminary of São Pedro and São Paulo of the Archdiocese of Braga, aims to promote cataloguing, collecting, organising, conserving, restoring, studying and researching the Archdiocesan archive of Braga and the artistic and archaeological values that are a heritage of the Archdiocesan Church of Braga.

At the same time, it collaborates towards conserving, enriching and improving the Pius XII and Medina Museums.

Since 2017, the Pius XII Museum has also promoted a collection of publications dedicated to contemporary artists.

Denominação

O museu

Denominação

O Museu Pio XII foi batizado com o nome do Papa que, então, governava a Igreja Católica. Trata-se de mais uma homenagem ao Pontífice que viveu um pontificado atribulado e cuja ação se revelou, em certos momentos, determinante.

Papa desde 1939 e até à data da sua morte, Eugénio Pacelli era italiano de nascimento, tendo seguido a sua vocação sacerdotal como religioso dominicano.

Ordenado bispo a partir de 1917, integrou a Cúria Papal, tendo assumido a nunciatura apostólica na Baviera e na Prússia. No consistório de 1929 foi nomeado Cardeal, sendo um ano depois designado para a importante missão de Secretário de Estado. Em 1939, ano decisivo para o mundo, é eleito Papa, sucedendo a Pio XI.

Apesar de todos os questionamentos efetuados sobre o seu papel durante a 2.ª Guerra Mundial, sabemos hoje que promoveu de forma discreta inúmeras ações em prol da paz e da defesa dos cristãos que se encontravam em risco.

No seu magistério publicaram-se 43 cartas-encíclicas e foram terminados oito processos de canonização e cinco de beatificação.

Em 1942, e na sequência do solicitado na mensagem de Fátima, Pio XII efetuou a consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria, tendo proclamado o dogma da Assunção de Maria em 1950. Faleceu a 9 de outubro de 1958, aos 82 anos de idade e com 19 anos de pontificado. Em 1965 o seu sucessor, o Papa Paulo VI, deu início à causa da sua beatificação e em 2009 Bento XVI proclamou-o “Venerável“.

Dada a exigência da sua missão, primeiro num contexto do mais terrível conflito bélico da história da humanidade e depois mergulhado na tensão calculista da Guerra Fria, o Papa Pio XII acabou por ser alvo de um particular afeto no seio da Igreja, facto que acabou por provocar a realização de diversas homenagens em sua honra. O Museu Pio XII é um exemplo disso mesmo, tendo aberto as suas portas quando Pio XII ainda estava no exercício das suas funções.

Homenagem

Em Braga, além deste Museu, o Papa Pio XII foi homenageado com a implementação de uma estátua no Largo da Senhora-a-Branca, obra do escultor Raul Xavier, inaugurada com grande assistência no dia 15 de maio de 1957.

Na base da estátua encontra-se a justificação para a homenagem ao Pontífice que proclamou o dogma da Assunção e que foi “arquitecto da paz e de um mundo melhor” no exigente contexto da 2.ª Guerra Mundial.

Na sala de entrada do Museu encontra-se precisamente uma réplica em gesso desta estátua.

.