História

Atividades

Publicações

O Museu Pio XII, no âmbito da missão desenvolvida pelo Instituto de História e Arte Cristãs (IHAC), reúne um conjunto de publicações que visa promover a inventariação, estudo e divulgação do espólio do Museu e da Arquidiocese de Braga.

Esta Fundação cultural da Arquidiocese de Braga, apoiada na extensão bracarense da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa e no Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo da Arquidiocese de Braga procura promover a inventariação, recolha, organização, conservação, restauro, estudo e investigação do Arquivo Arquidiocesano de Braga e dos valores artísticos e arqueológicos que são património da Igreja Arquidiocesana de Braga.

Ao mesmo tempo, colabora na conservação, enriquecimento e beneficiação dos Museus Pio XII e Medina.

Desde 2017 o Museu Pio XII tem promovido ainda uma coleção de publicações dedicadas a artistas contemporâneos.

Activities

Publications

The Pius XII Museum, in the context of the mission developed by the Institute of Christian History and Art (IHAC), brings together a set of publications that aim to promote cataloguing, studying and disseminating the Museum's legacy. This Cultural Foundation of the Archdiocese of Braga, supported in the extension of the Faculty of Theology of the Catholic University of Portugal and the Conciliar Seminary of São Pedro and São Paulo of the Archdiocese of Braga, aims to promote cataloguing, collecting, organising, conserving, restoring, studying and researching the Archdiocesan archive of Braga and the artistic and archaeological values that are a heritage of the Archdiocesan Church of Braga.

At the same time, it collaborates towards conserving, enriching and improving the Pius XII and Medina Museums.

Since 2017, the Pius XII Museum has also promoted a collection of publications dedicated to contemporary artists.

História

O museu

História

O Museu Pio XII foi fundado em 1957 pelo Cónego Luciano Afonso dos Santos, um sacerdote apaixonado pelos temas da história e do património, que nos seus tempos livres percorria a Arquidiocese de Braga em busca de tesouros escondidos nas sacristias e pedras que pudessem ajudar a explicar melhor as origens das comunidades.

Ao fim de alguns anos de recolhas, reuniu uma valiosíssima coleção de natureza arqueológica e artístico-religiosa. Entre cerâmica, têxteis, escultura, ourivesaria, alfaias litúrgicas, numismática, medalhística e pintura, o Museu Pio XII exibe o resultado visível do entusiasta labor do sacerdote. Começou por deter apenas uma coleção de arqueologia, reunindo os achados de várias escavações. Apenas mais tarde foi criada a coleção de arte sacra.

Em 1968, perspetivando-se a realização de obras no edifício, foram promovidas sondagens arqueológicas no claustro do Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo pelo Cónego Luciano Afonso dos Santos, tendo sido encontradas estruturas de um edifício romano, mais concretamente, o hipocausto de uma casa romana (IV séc.).

Em 1984, na sequência de uma doação do pintor Henrique Medina à Arquidiocese de Braga foi fundado o Museu Medina, sendo instalado também no edifício do Seminário Conciliar. Embora criado inicialmente como museu autónomo, atualmente integra o circuito do Museu Pio XII, como galeria de arte.

Inauguração

Instalado numa das alas do antigo Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo, vulgarmente conhecido como Seminário de Santiago, o Museu Pio XII não beneficiou inicialmente das melhores condições de exposição. As coleções estavam mal acondicionadas e o edifício não oferecia as necessárias condições de exposição, conservação e segurança. Por isso mesmo, no final da década de 1990 foi empreendida a sua reformulação. A inauguração desta nova versão do Museu Pio XII ocorreu em 5 de dezembro de 2002.

Aos cuidados do Seminário, onde o Museu estava instalado, encontrava-se uma das torres medievais da antiga muralha de Braga. Essa Torre, conhecida como de Santiago, está agora integrada no percurso museológico do Museu Pio XII.