Torre Medieval

Atividades

Publicações

O Museu Pio XII, no âmbito da missão desenvolvida pelo Instituto de História e Arte Cristãs (IHAC), reúne um conjunto de publicações que visa promover a inventariação, estudo e divulgação do espólio do Museu e da Arquidiocese de Braga.

Esta Fundação cultural da Arquidiocese de Braga, apoiada na extensão bracarense da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa e no Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo da Arquidiocese de Braga procura promover a inventariação, recolha, organização, conservação, restauro, estudo e investigação do Arquivo Arquidiocesano de Braga e dos valores artísticos e arqueológicos que são património da Igreja Arquidiocesana de Braga.

Ao mesmo tempo, colabora na conservação, enriquecimento e beneficiação dos Museus Pio XII e Medina.

Desde 2017 o Museu Pio XII tem promovido ainda uma coleção de publicações dedicadas a artistas contemporâneos.

Activities

Publications

The Pius XII Museum, in the context of the mission developed by the Institute of Christian History and Art (IHAC), brings together a set of publications that aim to promote cataloguing, studying and disseminating the Museum's legacy. This Cultural Foundation of the Archdiocese of Braga, supported in the extension of the Faculty of Theology of the Catholic University of Portugal and the Conciliar Seminary of São Pedro and São Paulo of the Archdiocese of Braga, aims to promote cataloguing, collecting, organising, conserving, restoring, studying and researching the Archdiocesan archive of Braga and the artistic and archaeological values that are a heritage of the Archdiocesan Church of Braga.

At the same time, it collaborates towards conserving, enriching and improving the Pius XII and Medina Museums.

Since 2017, the Pius XII Museum has also promoted a collection of publications dedicated to contemporary artists.

Torre Medieval

Exposições

Torre Medieval

A Torre de Santiago é um dos núcleos expositivos do Museu Pio XII. Com entrada pelo vizinho Largo de São Paulo, este complexo edificado medieval integrava o circuito de defesa da cidade de Braga. Alterado e reformulado ao longo dos séculos, detém cinco pisos, que têm servido para algumas das exposições temporárias realizadas pelo Museu Pio XII.

No terceiro piso pode visitar-se o oratório dedicado a Nossa Senhora da Torre, erguido sob desenho de André Soares, como forma de agradecimento por a cidade ter sido poupada aos efeitos nefastos do terramoto de 1755, que devastou a cidade de Lisboa, em Portugal.

No último piso pode-se vislumbrar o campanário instalado na torre desde 1721, além de beneficiarmos de uma das mais belas panorâmicas sobre a cidade de Braga, fruto dos seus 40 metros de altura.

A torre de Santiago é um dos resquícios da cidadela medieval mandada reformar pelo Rei D. Fernando a partir de 1369. Deve o seu nome ao facto de se localizar a escassos metros da Paroquial de Santiago da Cividade, erigida no século XIII. A torre não servia então apenas como posto de vigia das muralhas, mas também era, em si mesma, uma das portas da muralha, que se fazia então por dentro da torre (em L), tal como acontece, por exemplo, em muitas das entradas da vila de Óbidos.

Restaurada em 2002

Ainda hoje é possível vislumbrar-se ambas as portas integradas na torre, bem como o primitivo pavimento, bastante elevado relativamente à atual cota das ruas.

A torre, integrada após 1560 no Colégio de São Paulo, foi aumentada em altura para permitir a colocação de sinos e relógio. Mais tarde, em 1721, viria a ser reformulada, construindo-se o campanário na fachada norte e passando a porta para a lateral da torre.

O oratório de Nossa Senhora da Torre haveria de moldar-lhe a fisionomia atual. Entre 1879 e 1927 a Câmara Municipal tentou, por diversas vezes, a sua demolição. Em 2002, na sequência da reformulação do Museu Pio XII, foi integralmente restaurada.

.