Uma Luz brilhou nas trevas

Atividades

Publicações

O Museu Pio XII, no âmbito da missão desenvolvida pelo Instituto de História e Arte Cristãs (IHAC), reúne um conjunto de publicações que visa promover a inventariação, estudo e divulgação do espólio do Museu e da Arquidiocese de Braga.

Esta Fundação cultural da Arquidiocese de Braga, apoiada na extensão bracarense da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa e no Seminário Conciliar de S. Pedro e S. Paulo da Arquidiocese de Braga procura promover a inventariação, recolha, organização, conservação, restauro, estudo e investigação do Arquivo Arquidiocesano de Braga e dos valores artísticos e arqueológicos que são património da Igreja Arquidiocesana de Braga.

Ao mesmo tempo, colabora na conservação, enriquecimento e beneficiação dos Museus Pio XII e Medina.

Desde 2017 o Museu Pio XII tem promovido ainda uma coleção de publicações dedicadas a artistas contemporâneos.

Activities

Publications

The Pius XII Museum, in the context of the mission developed by the Institute of Christian History and Art (IHAC), brings together a set of publications that aim to promote cataloguing, studying and disseminating the Museum's legacy. This Cultural Foundation of the Archdiocese of Braga, supported in the extension of the Faculty of Theology of the Catholic University of Portugal and the Conciliar Seminary of São Pedro and São Paulo of the Archdiocese of Braga, aims to promote cataloguing, collecting, organising, conserving, restoring, studying and researching the Archdiocesan archive of Braga and the artistic and archaeological values that are a heritage of the Archdiocesan Church of Braga.

At the same time, it collaborates towards conserving, enriching and improving the Pius XII and Medina Museums.

Since 2017, the Pius XII Museum has also promoted a collection of publications dedicated to contemporary artists.

Uma Luz brilhou nas trevas

Exposições

Uma Luz brilhou nas trevas

O núcleo expositivo principal do Museu Pio XII intitula-se “Uma luz brilhou nas trevas” e encontra-se instalado no piso térreo e principal do edifício. Debruçando-se fundamentalmente sobre as coleções de arqueologia e arte sacra recolhidas pelo Cónego Luciano Afonso dos Santos, nele se conta a história da humanidade, desde que se conhecem hominídeos sobre a terra, passando pelo mesolítico, neolítico, idades do ferro, do bronze, do cobre, culturas castrejas, romanos, suevos, visigodos… e até aos nossos dias.

Ao longo do percurso dedicado à arqueologia pode apreciar-se um riquíssimo espólio em lítica, em cerâmica, em vidro, em bronze e ferro, numismática… O grande destaque deste setor da exposição são as cerâmicas encontradas no território bracarense. Sobressai um mosaico com motivos marinhos, perfeitamente preservado, resultado das escavações promovidas em 1968 no vizinho claustro do Seminário…

… Conciliar de S. Pedro e S. Paulo. Mas também merecem referência as estelas romanas, além de fragmentos de colunas e capitéis visigóticos. Também se podem contemplar marcos miliários, aras votivas, sarcófagos. Fazem igualmente parte da exposição inúmeras moedas.

Segue-se um extenso corredor onde a luz já brilha (o cristianismo desponta e começa a fazer história). Pontuam o caminho, merecendo este destaque, belíssimas esculturas e pinturas.

Encontramos depois uma sala dedicada à devocionária e, de seguida, uma sala de ourivesaria (ostentando um conjunto de 100 peças, doação de um casal: Hamilton Gonçalves e Manuela Vilaça).

De Cristo aos nossos dias – eis a história que se conta no enorme salão de pedra que, uma vez percorrido, nos coloca nos nossos dias e no hall de entrada, porta aberta para um piso superior, onde Henrique Medina – quiçá o maior retratista português do séc. XX, se dá a conhecer.

.